Ad Code


 


 

MÃE DE JEANDERSON RELATA DESCASO DO HOSPITAL COSTA DO CACAU E PEDE SOCORRO PELA VIDA DO FILHO

 

Hospital Costa do Cacau e o pé de Jeanderson


Jeane, mãe de Jeanderson relatou em áudio o descaso que vem ocorrendo no Hospital Costa do Cacau, hospital que deveria ser referencia em tratamentos de alta e média complexidade tem se mostrado ineficaz no tratamento de Jeanderson que vem piorando o quadro de saúde a cada dia que passa, correndo um risco iminente de vida. O hospital tem faltado insumo básico como curativo que é o material principal para a limpeza dos ferimentos.

Veja o relato de Jeane transcrito na integra:

Meu nome é Jeane Fernandes Santos, eu sou mãe de Jeanderson Fernandes de Carvalho que se encontra hospitalizado no Hospital Costa do Cacau. Jeanderson deu entrada no Hospital Costa do Cacau no dia nove de janeiro de dois mil e vinte por conta de um de um acidente de mergulho, ele fraturou duas vertebra, o médico diagnosticou depois de ter feito os exames que ele teria que fazer uma cirurgia pra poder colocar uns parafusos e uma placa na coluna. Depois disso, ele foi para recuperação na UTI.

Dois dias depois ele se alimentou com um colar cervical que o médico falou que ele teria que usar para se alimentar por uns dias com sonda, aí deram comida, ele se alimentou e aí ele broncoaspirou, comprometeu 100% do pulmão e aí ele teve várias paradas cardiorrespiratórias, os médicos falaram que ele tinha um problema de atelectasia e teve que fazer uma traqueostomia, hemodiálise e transfusão de sangue, foram setenta e cinco dias que ele passou na UTI, depois desses setenta e cinco dias ele foi pra enfermaria, na enfermaria nós vimos como era que Jeanderson estava, ele estava cheio de escara na cabeça, uma escara na sacro e nos dois calcâneo,  a escara da sacro estava em nível quatro.

Na enfermaria nós fomos atrás de saber se tinha algum curativo que contemplasse a melhora dessa ferida, porque ela estava muito funda e aí me disseram que não, que não tinha curativo que  contemplasse isso, então perguntei -gente não pode trazer de casa?  a enfermeira respondeu -Não, não pode não.

E aí foi aquela luta, nós atrás de ver um curativo que melhorasse a ferida, pois ele estava falando, ele estava movimentando os braço, ele estava comendo, entendeu, estava fazendo as fisioterapia tudo, mas o problema era somente a traqueo e a escara, a traqueo porque ele tinha necessidade de respiração por conta da secreção e também é uma luta porque várias vezes no dia que ele precisava fazer isso as pessoas achavam que a gente estava exigindo demais e o curativo da escara, porque eles só faziam curativo com dersani e óleo girassol e uma pomada que chama colagenase que tira aquelas carnes mortas. 

Como é que se tira uma coisa de onde não se tem condições de colocar? E aí nós ficamos nessa luta e nada. Jeanderson teve vários problemas, inclusive disseram que ele teve covid e lutando, lutando, lutando, e eu perguntei a médica que devido a fundura da escara que já estava aparecendo o osso, se ele não tinha dado osteomielite, ela disse que não, que não tinha diagnóstico e aí pediram pra poder a gente ir fazer o acompanhamento com home-care quando nós aceitamos que fez toda a papelada, Jeanderson começou a ter febre de volta e eu falei pra médica, ele só tem duas porta de entrada, a escara e a traqueo, mas eles não acataram nada do que a gente fala e aí ficou procurando em nada, exame daqui, exame dali com contraste, com isso ou com aquilo, depois de quarenta e cinco dias que ele estava na enfermaria eu cheguei de manhã pra trocar o plantão ele estava parado aí ficaram lá tentando reanimar ele, ver o que era que tinha tecido, ele estava com a pressão normal, estava com açúcar normal, todos os parâmetros dele foram aferidos, estava tudo normal e ele todo paralisado. 

Aí a médica virou pra mim e disse assim, dona Jeane o médico olhou a tomografia de Jeanderson e disse que ele está com osteomielite, eu disse, eu perguntei a senhora, mas a senhora me falou que não e agora não é hora, nós vamos primeiro acudir o paciente, ver o que que ele tem para depois a gente resolver isso, Jeanderson voltou pra emergência do hospital, ele tinha dado um AVC, eles disseram que era um AVC hemorrágico.

Retornando pra emergência do hospital ele voltou pra UTI novamente e aí passou cinquenta e cinco dias na UTI, eles dizem que por motivo de não ter visita por conta do covid nós não vimos só acreditávamos no que os médicos falavam, nós íamos lá o médico dava o boletim e nós ouvíamos o que ele tinha pra falar e voltávamos pra casa, nós não fazíamos visita, depois de cinquenta e cinco dias eles disseram que Jeans estava estável e que dava pra ir pra casa com o internamento domiciliar, e aí nós aceitamos porque estávamos querendo cuidar dele em casa, e aí trouxemos ele pra casa, eles fizeram toda a papelada do Home-Care e tudo. Jeanderson chegou aqui no dia vinte e dois de julho, por volta de meio-dia e meio e ficou aqui tranquilo, só que aí eu fui providenciar, procurar ver tudo, ele estava com dois curativos nos braço, aí nós fomos ver, fomos tirar tudo, passaram um laudo dizendo que Jeanderson estava estável, que Jeanderson não tinha nenhum edema, Jeanderson estava com os pés e as inchadas e aí nós fomos ver, Jeanderson estava com os dois braços ferido, além dos calcanhares as panturrilha, concluindo, jeanderson entrou com três escaras e tinha saído com nove escaras. Então, se na enfermaria que era um curativo eles não queriam fazer pense a pessoa com nove escaras no corpo entendeu? E aí a gente continua nessa luta nós já estamos quase oito meses a luta de todos os dias vai lá conversa diz uma coisa diz outra diz que tem curativo mas não tem porque se tivesse curativo ele já tinha sarado desde a enfermaria e agora nós estamos nessa situação, Jeanderson pesava mais ou menos noventa e poucos quilos de agora Jenderson tá com mais ou menos uns quarenta e pouco, desnutrido e desidratado quando ele chegou em casa que ele voltou novamente porque ele não conseguiu ficar nem doze horas em casa, voltou pra emergência na emergência o médico disse, ele tá com anemia, vai ter que tomar duas bolsa de sangue, ele está desidratado e desnutrido, como é que a pessoa pega um paciente desse pra mandar pra casa para o Home-Care e a família acompanhar nessa situação? Jeanderson voltou pra UTI nessa ele estava indo só pra UTI-1 agora ele voltou pra UTI-3 e chegou lá tomou mais uma bolsa de sangue, então três bolsa de sangue e ele todo descompensado nessa situação e diz que  a escara tá atacando isso, atacando aquilo, mas nada, a gente não sabe o que a gente faz mais.

 Deus está dando a vida a ele, Deus tem um propósito na vida dele, só que a negligência tá demais e a gente não sabe o que fazer, a gente tá pedindo socorro, socorro, socorro em nome de Jesus."



Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu