CÉSAR PORTO FRITA ABRAÃO: “O SENHOR INVIABILIZA MANDATOS”

 

Homem de poucas palavras, o vereador César Porto (PSB) suspendeu a pegada taciturna e ligou o modo pistola, durante a sessão da Câmara de Ilhéus, nesta terça-feira (16). Num raro pronunciamento de grande expediente, incomum até nos tempos de sua presidência (2019-2020), cobrou soluções ao atual presidente da Casa, Abraão Santos (PSD), para os problemas que, segundo ele, a interdição do prédio do Legislativo tem causado à rotina parlamentar.

“Boa tarde à toda a imprensa. Boa tarde, colegas. Eu estou aqui bem sossegado e tranquilo, com minha consciência tranquila, porque a nossa Casa, hoje, ela tá passando por uma crise, que é um [vereador] atacando outro”, iniciou César Porto. “É muito fácil quando a gente joga pedra onde nós temos também telhado de vidro, muito fácil isso”, filosofou, antes de transformar o de Abraão no telhado da vez.

Na sequência, quis saber se o Legislativo paga aluguel para fazer as sessões, provisoriamente, no prédio da Associação Comercial de Ilhéus. A pergunta soou retórica. Nesse momento, dirigiu-se a Abraão, que demorou a notar que era o destinatário da pergunta. “Aqui tá pago? Presidente, estou perguntando uma coisa a vossa excelência, aqui é pago?”, insistiu Cesar Porto, com a rispidez de seu cacoete militar.

Abraão ensaiou resposta. “Até o momento, não era, não, mas Ivo me passou uma informação agora aqui, que a gente vai ter que…”. O presidente ainda não havia terminado a frase quando o próprio vereador Ivo Evangelista (Republicanos) explicou que a direção da ACI telefonou para ele, Ivo, informando que, para continuar usando o espaço, a Câmara terá que dar ajuda financeira à instituição.

UM TOM ACIMA

Duvida esclarecida, Cesar voltou à carga. “Uma Casa que está recebendo R$ 1,9 milhão [por mês] e nós não temos um lugar adequado para atender o nosso povo”. Para ele, é responsabilidade de Abraão providenciar local de trabalho adequado para os colegas. “Não é possível que o presidente da Casa não consiga um lugar na cidade pra se fazer uma sessão, uma plenária decente”, disparou. Depois, em ultimato, disse esperar que o presidente ofereça alternativas aos vereadores até amanhã (17).

Abraão respondeu que aguarda o resultado da vistoria do Corpo de Bombeiros na sede da Câmara e, de forma alternativa, com o auxílio da Mesa Diretora, avaliará locação provisória para os gabinetes e submeterá a definição do local aos demais vereadores.

Cesar retrucou, subindo o tom. “Eu espero que tenham uma solução, senhor presidente, para que nós, que somos vereadores, possamos dar a sustentabilidade do nosso mandato. Eu vou dizer uma coisa para o senhor. O senhor está inviabilizando o mandato de cada vereador aqui. Nós precisamos de uma resposta urgente”.


Matéria do site Pimenta 

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu