Ad Code

SECRETÁRIA, É HORA DE REPARAR SUA INJUSTIÇA

Oportuno momento para a atual Secretária de Desenvolvimento Econômico Soane Galvão esposa de Mário Alexandre reparar injustiças cometidas quando da sua passagem pela Secretaria de Bem Estar Social.

Soane Galvão "Meu inferno Meu Lugar"


A primeira injustiça, trata-se de uma jovem que residia frente a Rodoviária, na comunidade conhecida como Rua do Mosquito. Ela tinha um barraco que ruiu por conta de um incêndio. Foi tudo documentado, inclusive, a defesa civil certificou o fato e na época foi prometido que ela teria prioridade em adquirir uma unidade residencial de casas populares. Importante registrar que o incêndio ocorreu antes do primeiro mandato do governo Mário Alexandre.

A jovem passou a residir de favor. A sua família desagregou: um para cada lado 

Ela passou a residir em um casebre com a sua sogra e o seu companheiro á beira do rio, na Vila Cachoeira. Com a enchente do rio ficou desalojada.

Na rua do mosquito o seu barraco sofreu um incêndio. Fogo. Na vila Cachoeira o seu barraco foi atingindo pela enchente. Água.

Ela se inscreveu no programa minha casa, minha vida e mesmo com toda documentação e preenchidos os requisitos para a aquisição de uma unidade residencial, lhe foi negada

O outro caso de injustiça na gestão da atual Secretária de Desenvolvimento Econômico, quando titular do Bem Estar Social, trata-se de uma cidadã que morava de favor em casa de uma tia que pediu que procurasse outro local para morar. Sem trabalho, pois vendia acarajé, alugou um imóvel com apenas um cômodo que servia de servia de sala de estar, quarto, cozinha. Tinha um sanitário pequeno sem descarga. Ela se inscreveu no Programa Minha casa, Minha Vida. Aí veio um câncer em um dos seios. Conseguiu o cartão de transporte com direito a acompanhante, porque nas sessões de quimio e rádio tinha tonturas, sensação de desmaios, etc. Na mesma gestão da atual Secretária na frente do bem estar social reduziu o número de passagens a deficientes, doentes, idosos, etc. Foi um caos.

A nossa paciente passou a sobreviver de cotização de amigos. Encurtando a conversa veio a amputação de um dos seios. E Ela e eu acompanhando-a estive por uma três vezes tratando do assunto com a então Secretária deBem Estar Social que quando não conseguiu mais procrastinar nós encaminhou ao atual Secretário que era o seu braço direito. O blá, blá, blá. Nesse interim, o câncer atingiu o outro seio da cidadã que igualmente foi amputado e, ela, continuou dependendo dos amigos para sobreviver.

Sabe por que lhe foi negada a unidade residencial, pasmem? Porque segundo a Secretária a cidadã não tinha anexado ao processo a sua certidão de nascimento. Na época eu contestei mostrando que a carteira de identidade fazia parte do processo e que no RG consta, inclusive, dados da certidão de nascimento. Foi dado o prazo e o documento foi anexado imediatamente. Ah! Ela foi contemplada. Essa difículdade foi colocada pela Secretaria para não entregar as chaves a pessoa cujo nome tinha sido contemplado.

Moral da história: a cidadã não tem os dois seios, o câncer está em fase de metástase, continua dependendo dos amigos para sobreviver.

"Nos dois casos eu Mirinho Duarte acompanhei irresignado, mas aguardei a oportunidade para relatar sobre esses fatos sobre injustiças do governo Mário Alexandre. Eu tenho as provas e por ouvir dizer outros casos me foram relatados."

Essa é uma grande oportunidade da atual Secretária de Desenvolvimento Econômico reparar injustiça cometida durante a sua gestão no Bem Estar Social.

Secretária, se redima. Se por uma questão política, que seja de política social que os frutos virão na sua pretensão política partidária. Mas, sobretudo, se redima por uma questão de humanidade.

"Sabe Secretária, Papai do Céu anota tudo que a gente faz aqui. Faça com que Papai do Céu não lhe inscreva no Programa Meu Inferno, Meu Lugar, até que a senhora, reveja o que a sua Pasta fez com duas pessoas que continuam em estado de extrema pobreza, até que as mesmas SEJAM REINCLUIDAS E CONTEMPLADAS NO PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA.

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu