Ad Code

Ilhéus poderá perder parte da receita do FPM por perder prazo para contestar erros no centro Demográfico realizado no município



Ilhéus poderá perder parte da receita do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), por perder o prazo legal para contestar possíveis erros ocorridos no Censo Demográfico realizado no município.


A explanação sobre esse tema aconteceu na Câmara de Vereadores de Ilhéus, que, recebeu em sua 71ª Sessão Ordinária, representantes do IBGE responsáveis pelo recenseamento demográfico, e também o ex-vice prefeito e fotógrafo ilheense, José Nazal, já amplamente conhecido na cidade pelo seu trabalho de registro e mapeamento dos logradouros do município.


Nazal discorreu que, após analisar profundamente os dados estatísticos e fotográficos do município, identificou uma série de erros técnicos nos estudos dos últimos censos demográficos realizados pelo IBGE na cidade de Ilhéus. Para o fotógrafo, existem provas contundentes de que o município de Ilhéus não decresceu em número populacional, mas sim, aumentou em número de habitantes.


O professor explicou em plenário, que reuniu as provas e evidências do aumento populacional de Ilhéus, e as apresentou ao procurador, no intuito de que o município contestasse esses erros para que fossem corrigidos pelo IBGE. 

Mas, segundo Nazal, e para infelicidade dos ilheenses, o PGM não deu a importância necessária em contestar os estudos no prazo tempestivo que a lei permite.


A grande importância da pauta debatida, é que, se o censo constatar a diminuição no número da população ilheense, isso também poderá significar uma diminuição no número de verbas recebidas da união através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).


“Se perdermos de 2020 para 2021, 1.423 habitantes, nós baixaremos do número do índice do FPM, isso é perda de receita, alta, não é pouca.” Explicou Nazal.

Vídeo: 



ASCOM do vereador 


Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu