Ad Code


 


 

PSDB, uma eleição atípica e inédita em Ilhéus. Alan Marinho deu um nó tático em todo mundo.


O PSDB ilheense divide-se em dois momentos. Antes e após a presidencia de Alan Marinho. E, claro, de sua executiva composta por Aldircemiro Duarte e outros que sabem fazer politica, principalmente partidária. A turma chegou de mansinho e hoje é uma agremiação respeitada e cobiçada por partidos grandes, a exemplo do DEM.  A turma mudou totalmente a linha e visão do partido. “Só se consegue fazer politica de forma coletiva. O individualismo não chega a lugar nenhum”, alfineta Marinho.

A aliança com o DEM vislumbrou-se algo diferente e atípica. Apesar do apoio na majoritária, o tucanato local viu-se obrigado a mudar a sua linha de trabalho. O DEM ficou limitado ao candidato a prefeito, sem abraçar os seus candidatos do Democratas, muito menos do PSDB.

E, qual foi a inicitiva do Partido da Social Democracia Brasileira?

Antes mesmo da virada de mesa, alguns candidatos se manifestaram em não mais apoiar Valderico Júnior. O tempo era curto; era preciso dar um norte na caminhada dos candidatos do 45.

Embora a instituição PSDB mantivesse firme a decisão da Convenção com o DEM sem, contudo, integrar a chapa majoritária, Alan Marinho e diretores perceberam de forma rápida e sapiente, avançar com a eleição de vereadores do quadro tucano. Era visível que a eleição dos candidatos dependiam tão somente dos seus esforços, enfim, da união de todos e, não mais da aliança com os Democratas e, muito menos de Valderico Júnior.

Há pouco menos de um mês da eleição os candidatos aprovaram a realização de uma série de caminhadas junto às comunidades de Ilhéus, NUNCA VISTO ANTES, ERA A UNIÃO DE CANDIDATOS DA PROPORCIONAL SE AJUDANDO ENTRE SI, sem a participação do candidato da majoritária. Isso porque para eleger vereadores o PSDB só dependia dele mesmo. Foi montado um sistema coletivo de busca de votos, e ao final no último dia 15 tudo deu certo.

O PSDB terminou dando um nó tático e, pela vez primeira, depois de muitos anos, consegue mesmo com candidaturas medianas, eleger Luca Lima com 442 votos ao apagar das luzes, há exatamente 97,3% das urnas apuradas. Algo fantástico!

Uma eleição atípica, inédita e surpreendente. Isso chama-se poder de articulação!

Um nó bem amarrado!

ALAN MARINHO, deu um norte no PSDB ilheense e o colocou entre os grandes.

Matéria repostada do site Jornal do Radialista.

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu